em aprendedorismo, aprendizagem

Dando continuidade à série das ferramentas aprendedoras, isto é, as ferramentas que me ajudam na prática de aprendedorismo, quero compartilhar agora o 12 minutos, um aplicativo muito especial que faz parte do meu sistema de aprendizagem.

Ele tem sido de imenso valor não só para mim, mas também para vários aprendedores que conheço.

Com este texto espero te inspirar a testálo (ou não) e depois, com a sua própria experiência julgar se ele merece um espaço nos seus rituais de aquisição de conhecimento também.

O que é o 12 minutos?

Como forma de dar acesso aos conteúdos mais relevantes no mundo dos negócios, desenvolvimento pessoal, carreira, psicologia – apenas mencionando alguns dos temas – o 12 minutos condensa as principais ideias dos livros mais eminentes de não ficção e cria um formato que eles chamam de microbooks, que você pode ler ou ouvir em uma média de 12 minutos – de onde vem o nome do serviço.

O microbook é uma síntese daquilo que o curadores consideram necessário a fim de que o leitor não perca tempo processando um livro sem saber se ele realmente vale uma leitura analítica.

Em outras palavras, ele se assemelha a um sumário, só que disponível em texto e áudio e mais muito fácil de consumir, o que permite a captação de ideias chaves mais rapidamente.

Por meio de assinatura, o aplicativo disponibiliza centenas (e em breve milhares) de “microlivros”, que são divididos em 11 categorias de não-ficção, desde negócios até espiritualidade.

No momento em que este artigo foi escrito, o aplicativo conta com mais de 300 microbooks disponíveis.

Sua biblioteca é renovada diariamente com 2 novos microlivros, que dá um rotal de 14 por semana.

A maioria deles está em português, mas a quantidade de produções em inglês e espanhol está crescendo,  uma vez que passaram a oferecer o serviço nas duas línguas.

O público alvo do serviço – que conta com mais de 50 mil pessoas – são empreendedores, profissionais e estudantes que precisam adquirir conhecimento com maior velocidade e precisão.

Uma ressalva importante é que o 12 min não compete com o formato livro.

Na verdade, a filosofia do 12 é muito mais despertar ou descartar o interesse pela leitura completa do livro na medida em que os conceitos-chave são extraídos com bastante cuidado.

Sabe quando começamos a ler um livro para depois descobrir que não gostamos dele?

Então,  o 12 quer eliminar ou pelo menos mitigar esse drama de leitura hehe.

Categorias Disponíveis

Como a própria imagem já mostra, as categorias são:

  • Saúde & Bem-Estar
  • Marketing & Vendas
  • Política, Filosofia & Ciências Sociais
  • Gestão e Liderança
  • Motivação & Inspiração
  • Economia
  • Comunicação & Networking
  • Psicologia
  • Empreendedorismo
  • Dinheiro & Investimentos
  • Produtividade
  • Cultura Corporativa

Planos

O aplicativo de aceleração de aprendizagem possui os planos gratuito, premium e corporativo.

O gratuito é de graça (haha um pleonasmo é bom de vez em quando 🙂), mas o leitor pode apenas consumir 1 livro por semana.

O premium custa R$ 298,80 por ano que podem ser divididos mensalmente em até 12x de 24,90 no cartão de crédito, ou seja, 83 centavos por dia.

Você tem 3 dias para testar gratuitamente.

Aliás, na prática, você pode continuar testando por 30 dias, isso porque pode cancelar o serviço com a garantia de 100% de reembolso nesse primeiro mês.

Traduzindo, risco zero de insatisfação.

Já o corporativo – que pode ser uma ótima opção para empresas que se preocupam com a aprendizagem constante de seus funcionários fora dos limites do escritório – não possui um preço pré-estabelecido, pois depende do número de funcionários.

Se tiver interesse nesse plano, é só entrar em contato e solicitar um orçamento nesta página.

Ambos dão acesso ilimitado ao acervo inteiro, que pode ser lido ou escutado pela web, tablet ou celular (apenas no web que não há suporte para áudio no momento em que este artigo foi escrito).

Além disso, o leitor passa a acompanhar o que seus amigos do face estão lendo, o que é bem legal para reforçar a troca de figurinhas.

Por que usar o 12 minutos?

12 minutos

O “canivete suíço do conhecimento” conta com várias recomendações diferenciadas.

Desde mídias relevantes como a revista Exame, até emprendedores brasileiros de destaque como o João Pedro Resende, Gustavo Caetano & Vitor Peçanha, o 12 minutos recebeu fortes indicações como ferramenta de conhecimento.

Além disso, o app já já superou a marca de 200 mil downloads e está na lista dos TOP 10 apps de educação da app store e google play.

Se isso não for suficiente, vamos aos benefícios então.

Filtrar leituras

A partir de agora não é mais preciso esperar chegar na metade do livro para desistir dele! #quemnunca.

Também não é necessário comprar o livro, antes de conhecer seu conteúdo de forma mais aprofundada.

Essas são as duas aplicações mais importantes para mim como usuário.

Mas já não existem vários resumos disponíveis gratuitamente na internet?

Sim existem.

Mas será que a qualidade se compara com o produto de uma equipe especializada na função?

E a conveniência de ter tudo em um lugar só?

Para mim é a mesma relação entre ficar buscando música/filme nos torrents da vida na web – ao invés de usar o spotify/netflix.

Claro que a gente não acha tudo todas as vezes, mas isso tampouco deixa de ser uma exceção.😉

Não “ficar boiando” nos papos

Seja na roda de amigos, na família, papo com os colegas ou rolê com o crush, não é legal ficar por fora da conversa, concorda?

Eu não estou dizendo de forma alguma que devemos saber de tudo (se bem que não ia achar ruim), mas se você de alguma forma souber de antemão os livros importantes para as pessoas ao seu redor, por que não puxar o microbook correspondente no 12 durante o percurso e iniciar uma conversa construtiva e gostosa?

Se conectar com as pessoas

Esse motivo aqui segue o mesmo princípio do anterior.

Nesse contexto, a conexão também pode acontecer no ambiente virtual.

O 12 tem uma funcionalidade chamada “Atividade” através da qual é possível se acompanhar quais microbooks seus amigos do facebook já leram – claro se eles já forem usuários.

Se ainda não forem usuários, igualmente não tem problema :).

Isso não é impeditivo para trocarem boas figurinhas.

Nesse caso,  é só compartilhar suas marcações – outra funcionalidade do app – da leitura no face, twitter ou mesmo por email.

Ler no kindle

Se você também já teve a vida mudada por esse aparelho divino que é o kindle – conforme expliquei neste artigo – a ótima notícia é que é possível ler os microbooks no leitor digital também!

Através da integração com o site da amazon, o 12 envia o resumo direto para seu dispositivo.

Para mais detalhes de como ativar a integração, vou deixar este artigo aqui.

Aproveitar o tempo ocioso para capturar uma nova idéia

Que tal aproveitar o momento da caminhada, trânsito, fila do banco ou qualquer outro momento ocioso de forma mais inteligente a partir de agora?

Essa é uma das propostas mais fortes do 12, grande razão porque o conteúdo é oferecido em áudio.

Inclusive, um dado interessante é que a maioria dos usuários do serviço consome mais áudio do que texto.

Parece que a conveniência e praticidade de ter alguém ditando um livro agrada bastante!

Solicitar resumos

12 minutos

página para solicitar resumos do app 12 minutos

Assim como no Netflix e Spotify, possivelmente não encontraremos todos os livros que queremos de imediato.

Disse “de imediato” propositalmente.

Isso porque, diferente do Netflix e Spotify, nós podemos pedir para novos livros serem inseridos!

Então é só uma questão de tempo para que possamos encontrar virtualmente todos os microbooks que quisermos lá na biblioteca do aplicativo.

Em entrevista à Exame, Diego Gomes – o fundador do 12 minutos – disse que há mais de 2 mil microbooks na fila de para serem confeccionados.

Se quiser já fazer um pedido, só acessar a página de lista de desejos deles.

Aprender Línguas

Agora com os microbooks em inglês e espanhol, por que não aproveitarmos o 12 minutos no nosso manual de aprendizado de línguas também?

Uma forma de se fazer isso é estudando o mesmo microbook nas três línguas e fazer uma lista das palavras novas em inglês e espanhol.

Em seguida, o passo é voltar para o microbook em nossa língua materna, ver qual seria a tradução para os vocábulos listados e criar flashcards para memorização deles.

Em termos de produtividade, trabalho com uma faixa de 1-5 flashcards por dia.

Para criar flashcards, eu uso o próprio kindle, pois ele cria automaticamente quando consultamos o significado de qualquer palavra no dicionário embutido do aparelho.

Esse seria o processo se você tiver o microbook no leitor digital mais querido do mundo.

Caso não tenha o aparelho, um aplicativo que já testei e integrei ao meu sistema foi o quizlet.

Outra opção é o ankiapp, recomendado pelo meu héroi  Tim Ferriss em seu livro Trabalhe 4 horas por Semana  e pelo Benny Lewis, em seu livro Fluent in 3 Months.

A próposito, sem este último livro não teria conseguido aprender a falar francês em 3 meses. 🇨🇦 

Ganhar livros e fazer caridade

caridade 12 min

12 minutos: apoio a ONGs

Como forma de impactar mais leitores pelo mundo afora, o 12 construiu uma campanha de marketing do bem.

Se ao final da leitura de cada microbook você compartilhar no face, twitter ou linkedin, automaticamente estará participando do sorteio mensal feito pela equipe.

Nele, cada ganhador leva um livro físico qualquer – mais uma vez provando que não existe uma competição com os livros  – e também tem seu nome numa doação financeira a alguma instituição sem fins lucrativos, cuja causa seja a leitura.

Por curiosidade, busquei o pessoal da equipe para me darem mais detalhes sobre como o sorteio ocorre e me disseram que logo em breve vão estruturar páginas no site para dar mais transparência e engajamento nesse processo.

Porque não usar o 12 minutos?

Substituir a leitura original

Já comentei isso outras vezes no texto, mas vou repetir: não usaria o 12 minutos para substituir a leitura na íntegra.

Para explicar isso de forma diferente, vou tomar emprestada a opinião de uma especialista, com cuja opinião concordei (as professoras de português piram nesse “com cuja” haha).

Em entrevista ao SIMI, a professora Ana Elisa Ribeiro, doutora em Linguística Aplicada pela UFMG, nãoproblema em alguém resumir um texto para que outros leiam.

No entanto, esse trabalho exclui partes da publicação a partir de critérios subjetivos de quem faz a curadoria.

“Quando você resume o que considera mais relevante ou importante, estará, também, excluindo as outras partes que podem ser interessantes para aquele que consome.

É mais fácil encontrar e destacar pontos centrais nos livros técnicos pela própria natureza desse tipo de livro.

Mas em um livro literário a coisa é um pouco diferente.

Conhecer o estilo de escrita de Clarisse Lispector, por exemplo, exige do leitor uma dedicação completa ao seu texto. A linguagem da autora é tão importante quanto o que ela escreve.

Resumir um livro de Machado de Assis é possível, mas entregar a experiência do que ele escreve, não.”

Por mais que a Doutora não tenha se referido a livros de não-ficção, o princípio continua valendo.

Talvez a perda não se dê pelo estilo literário em si, mas por algum exemplo, história ou detalhe que não ressoou ao curador, mas que poderia mudar a vida do leitor.

Afinal de contas, cada um ressoa de forma diferente com o mesmo conteúdo, já que trazemos experiências distintas que moldam a forma como nos relacionamos com o mundo, incluindo os livros.

Para necessariamente “Ler mais”

12 minutos

O 12 faz algumas promessas tipo “leia x livros por dia” ou algo do gênero, mas eu não acredito neste tipo de mensagem.

Vejo o 12 como uma ferramenta não de aumento de quantidade, mas sim de aumento da qualidade da leitura.

Conforme consta no livro Como Ler Livros que, diga-se de passagem, um dos melhores livros que já li até hoje, o analítico e o sintópico são os níveis mais complexos de que leitura a que podemos chegar.

(Para entender melhor esses termos, você pode ler minha resenha em inglês ou o próprio microbook do 12).

Justamente, o 12 pode nos ajudar a chegar nesses níveis com mais facilidade, na medida em que facilita a seleção de livros que valem mesmo a pena investir nossa energia.

Outra questão é que a métrica “quantidade de livros lidosnão é a melhor para representar o bom funcionamento do nosso sistema de aprendizagem.

Acredito que a melhor métrica nesse sentido seja a quantidade de hábitos criados/livro. 

Afinal de contas, quantos livros já lemos, mas com que não mudamos em nada nosso jeito de pensar ou agir?

Talvez o livro não tenha nos desafiado intelectualmente.

Talvez não o tenhamos lido de forma analítica ou sintópica o suficiente para extrair seu caldo…

Independente do motivo, continuo sustentando a premissa abaixo (dá um RT se gostar):

Inclusive, no décimo primeiro episódio do Heroespodcast do 12 minutos que também recomendo –  o entrevistado Roberto Viana, pareceu se preocupar bastante em tornar cada linha lida em algum hábito, o que achei super legal.

Enfim, a quantidade pode até vir como efeito colateral de estarmos mais comprometidos com o nosso aprendedorismo, mas não como o centro dos esforços.  

Tutorial: Como usar o 12 minutos?

Primeiro, baixe o aplicativo na Apple Store ou Google Play Store.

Repetindo, você tem 3 dias para testar gratuitamente.

Além disso, depois de assinar, você – na prática – pode continuar testando por mais 30 dias

Se por qualquer razão quiser cancelar, o 12 te reembolsa 100% do investimento até o trigésimo dia de uso, ou seja, o risco de insatisfação é zero.

Embora possa também ser utilizado no ambiente web, o 12 foi conceitualmente desenhado para dispositivos móveis – conceito “on the go”.

É por isso que os microbooks em aúdio só podem ser escutados – pelo menos neste momento – em celular ou tablet.

Para o fazer login, use sua conta do facebook ou email.

Basicamente, o aplicativo possui 4 telas principais:

Descubra, Biblioteca, Atividades e Perfil.

Vamos lá explorar cada uma delas…🔬

12 minutos: Descubra

Quando abrir o aplicativo, estará na tela Descubra.

O primeiro conteúdo que verá é o microbook de destaque da semana.

Escolhido pelo time do 12, esse é o conteúdo gratuito semanal que os usuários do plano gratuito podem ler ou escutar sem pagar.

Se quiser escutá-lo, simplesmente o selecione.

Logo abaixo está a categoria de “Mais Quentes“, que como o próprio nome já sugere, são os books que mais estão sendo lidos pelos usuários.

Se quiser ler um livro já a partir dessa tela, clique sobre o título desejado.

Isso vai te levar a uma tela de sinopse, a partir da qual pode iniciar a leitura ou escuta.

A propósito, no canto superior da tela está o tempo estimado para o consumo do microbook.

Se quiser adicionar algum deles à sua biblioteca, tela a partir da qual pode ler seus microlivros, aperte no sinal de mais no canto superior direito da área visual do título correspondente.

Se você rolar um pouco mais para baixo, vai ver a seção “Mais Novos“, que são os livros que acabaram de “sair do forno” da equipe.

Para ver mais títulos, só é deslizar para a esquerda.

Se você clicar no botão categorias, vai ter acesso a listas de microbooks organizados por cada um dos 12 temas existentes.

A título de exemplo, cliquei na categoria “produtividade“, o que você pode ver na galeria de imagens acima.

Por último, se quiser buscar um microbook pelo título, é no botão da lupa que você quer clicar então.

Daí é só digitar o título desejado.

Biblioteca

Esta é a tela onde a leitura de fato acontece.

É para cá que os microbook vão quando você os adiciona na tela de descubra.

Ela possui duas abas: Lidos e Lendo que são autoexplicativas.

Dentro delas, clicar sobre o título de um livro nos leva à leitura propriamente dita.

A partir disso, é só rolar a tela para baixo até chegar ao fim da leitura.

No caminho, você pode fazer as marcações daquilo que te chamar mais atenção.

Seja para criticar o autor, registrar uma citação inspiradora ou destacar algo para implementar depois – fazer marcações é crucial para uma leitura analítica de alto nível.

Além disso, é uma ótima forma de trocar figurinhas com as pessoas ao nosso redor.

Quantas vezes não lemos algo que nos faz lembrar de alguém?

Essa é uma boa hora para compartilhar isso com ela por whats ou outro meio usando a funcionalidade de compartilhamento.

Essas marcações podem ser recuperadas na tela de perfil.

Vamos chegar lá daqui a pouco…

Antes disso, acho bem legal que o microlivro sempre começa com um parágrafo que dá o por que ler e para quem é a leitura.

Já no final, existe uma sugestão de próxima leitura, o que me ajuda bastante na leitura sintópica.

Se quiser aumentar ou diminuir a fonte, clique no botão “A” do topo da tela.

Se tiver em um ambiente escuro ou de noite, pode tornar a leitura mais agradável ao selecionar fundo preto através do botão “Aa” de fundo preto.

Essa ação vai abrir uma barra de deslizamento que você pode arrastar para a direita para aumentar a fonte e o brilho, e para a esquerda para obter o efeito oposto.

Finalmente, para escutar o microbook, só é clicar no botão do fone de ouvido.

A narração do livro é fidedignamente baseada na versão escrita, logo não precisa se preocupar com diferenças de conteúdo entre os formatos!

Caso se distraia ou queira adiantar alguma fala, você pode apertar os botões de “voltar 10 segundos” ou “avançar 30 segundos”.

É possível também aumentar ou diminuir a velocidade da narração no centro inferior da tela, onde está escrito 1.00 x .

Essa é a velocidade original, que pode ser acelerada para 1.25x, 1.5x e 2.0x se você gosta de escuta rápida.

Voltando à tela inicial da biblioteca, tem o botão de opções (reticências) em cada microbook.

Nele, a gente pode:

  • Enviar o microbook para no kindle 
  • Fazer download para escutá-lo offline
  • Avaliá-lo, compartilhá-lo ou removê-lo

Uma última opção nesta tela é ordenar os microlivros segundo algum critério de sua escolha.

Pode ser por ordem alfabética, se possui áudio ou não, avanço da leitura ou ordem de adição.

Para finalizar esta tela, aqui vai um hack top:

se você selecionar a mesma opção de organização mais de uma vez, a ordem será revertida.

Por exemplo, de A-Z para Z-A para ordem alfabética e assim por diante.

Atividades

Na tela de atividades é onde temos acesso ao que nossos amigos do facebook estão lendo.

Se sua tela não está mostrando ninguém, talvez deva adicioná-los antes.

Daí é só clicar no ícone do “bonequinho com o +“.

Na tela seguinte, o 12 vai mostrar seus amigos que também são usuários.

Como podem ver na galeria acima, eu tinha 162 no momento em que escrevi artigo.

Em seguida, aperte o botão “seguir todos“.

Depois disso, podemos aqui voltar toda vez que a gente quiser “stalkear” alguém por um bom motivo haha. 🧐

Perfil

A última tela do aplicativo é tipo um sumário da biblioteca que contém as marcações, quantidade de pessoas que a gente segue, seguidores, além do acesso à tela de configurações.

O conteúdo em sua maioria é bastante autoexplicativo, ainda mais se somado com a galeria de fotos desta seção.

Apesar disso, tem 2 coisas que gostaria de enfatizar:

  1. Para conseguir enviar os microbooks para o kindle, é na tela de configurações que você precisa inserir seu email específico que o serviço da amazon gera.
  2. Para consumir os microbooks quando não tiver acesso à internet, ative o modo offline caso já não esteja ativado!

[bônus] hábito aprendedor: como integro o 12 minutos no meu sistema de aprendizagem

Mais importante do que saber usar a ferramenta, é criar um hábito positivo ao redor dela.

Em razão disso, vou compartilhar o que considero a parte mais importante deste artigo: como criei um processo interno com o 12 minutos.

Ele passou a fazer parte do meu stack e ritual de pré-leitura juntamente com o Wikipedia e o TED.

Especificamente falando, toda vez que vou ler um novo livro, eu antes leio o microlivro do 12, pesquiso a história do autor na Wikipedia e assisto a alguma palestra que aborda o tema do livro – no TED de preferência.

Tudo isso como forma de decidir se realmente leio o livro ou não.

E você?

Está disposto a pelo menos testar o 12 minutos agora ?

Se possui uma mentalidade voltada a experimentospor que não?

De qualquer forma, vou deixar aqui os botões para você baixá-lo na app store ou google play. 📲

12 minutos

Espero de verdade que esta recomendação seja relevante para ti 🙂

Escrevo recomendações independentes, transparentes e honestas de coisas que uso na minha prática de aprendedorismo.

Utilizando o aplicativo ou não, te convido para trocarmos figurinhas nos comentários abaixo.

Então, o que acha do 12minutos?

  • Você. É. O. Cara.

    • num fala assim não se não fico todo me achando vindo de ti hein 😌

  • Jardel Duque

    Baixei o 12 Minutos – proposta muito legal, vou experimentar – a vida é muito curta para ler livros ruins rsrsrs

    Mathias, estou procurando também um app do tipo “to do list” bom para organizar tarefas e que sirva, especialmente, para trabalhar em grupo com projetos novos e com atividades recorrentes. Você me recomenda (ou não recomenda) algum ?

    • legal bro, depois me conta o que rolou no seu teste 🙂
      sobre to-do list, já testei vários. o mais completo e intuitivo até agora para mim foi o asana, que continuo usando atualmente. super recomendo testá-lo. quero fazer uma resenha dele em breve… me mantenha atualizado desse teste também viu? tamujuntu